Notícias

 Fonoaudiologia
28/06/2016

Zumbido: entenda as causas e tratamentos

Sintoma que acomete cerca de 28 milhões de brasileiros tem causas e tratamentos diversos. Cada caso deve ser analisado individualmente


Definido como a percepção de som na ausência de um estímulo, o zumbido é um sintoma comum e ocorre em torno de 15% da população. Na maior parte dos casos, cerca de 80%, é leve e intermitente. Para os demais pacientes, pode interferir até mesmo na qualidade de vida. “O zumbido constante pode afetar o equilíbrio emocional dos pacientes, o sono, a concentração em atividades diárias e impactar atividades sociais”, afirma Daiane Lopes, fonoaudióloga da SERCON. Não se trata de uma doença, mas um sintoma. Pode ser provocado por patologias localizadas no sistema auditivo ou originadas em outros órgãos, afetando secundariamente o ouvido.

O zumbido pode se assemelhar a sons como apito, chiado, cigarra, grilo, abelha, cachoeira, motor, sirene, panela de pressão, entre outros. Em casos mais raros, o zumbido tem ritmo, e assemelha-se a batidas do coração, cliques e “asas de borboleta”. Na maioria dos casos, é causado por algum transtorno na via auditiva, que engloba desde a orelha externa até o córtex auditivo. Dentre as principais causas, destacam-se:

– Aquelas originadas no sistema auditivo;

– Alterações no metabolismo (deficiência de vitaminas, alterações nos níveis de açúcar);

– Alterações hormonais (doenças da tireóide);

– Alterações cardiovasculares;

– Doenças neurológicas;

– Distúrbios psiquiátricos;

– Alterações odontológicas;

– Alterações musculares da região de cabeça e pescoço;

– Alterações psicológicas.

“É possível que um único indivíduo apresente zumbido por um conjunto de causas”, pondera a fonoaudióloga, “por isso é importante cada paciente receber um tratamento personalizado”. Histórico médico e exame físico detalhados são os primeiros passos da investigação. “Além disso, é fundamental a realização da avaliação do sistema auditivo e de exames laboratoriais”, ressalta Daiane Lopes.

A partir dessas informações, o médico otorrinolaringologista parte para o tratamento, que pode ser feito com o uso de medicamentos ou não. Dependendo das causas do sintoma, é recomendada uma mudança na dieta. Podem ser recomendados tratamentos como mascaramento; TRT (tinnitus retraining therapy ou terapia de retreinamento do zumbido); adaptação de aparelhos para audição ou para o zumbido; estimulação magnética transcraniana; fisioterapia (com busca e tratamento de pontos dolorosos específicos relacionados ao problema) ou mesmo psicoterapia.

Mais Notícias

 Medicina do Trabalho

26/08/2021
Vacina contra a Covid-19 é obrigatória nas empresas?
Entenda a importância da vacinação e conheça as decisões acerca da obrigatoriedade

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Entrada em vigor das novas normas regulamentadoras é adiada para 2022
Saiba quais foram incluídas no cronograma anunciado pelo governo federal

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
SST na mineração: obrigações das empresas
Como manter trabalhadores protegidos em um setor essencial para a economia brasileira

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Limites de tolerância a ruídos no trabalho
O que a legislação diz sobre o tema e como as empresas podem se adequar