Notícias

 Psicologia Ocupacional
28/06/2016

Trabalho e saúde mental

Estar atento à saúde psicológica do trabalhador é uma maneira de agir com estratégia, reduzindo gastos com absenteísmo e licenças médicas e aumentando a produtividade


Por meio do trabalho, o homem se insere no mundo e contribui para o funcionamento da sociedade. A atividade profissional transforma a própria vida, a natureza e a sociedade. Mas nem sempre o exercício de uma profissão é positivo para uma pessoa. “Quando o trabalho é percebido de forma negativa, pode desencadear sintomas de estresse e sofrimento, e isso pode interferir nos demais âmbitos da vida, podendo causar adoecimento”, afirma Fabiana Flávia Santos Vilaça, psicóloga da SERCON.

Para a especialista, o agravamento do estresse traz ao indivíduo sintomas de exaustão em todo o seu ser: ocorrem oscilações de humor, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, muitas vezes combinados com sintomas físicos, como dor de cabeça ou problemas digestivos. “Esses são sinais de que “provavelmente, a pessoa está no seu limite físico e emocional”.

São recentes os estudos que abarcam o adoecimento provocado pelo trabalho. De acordo com a psicóloga, começou-se a falar nesse assunto após as mudanças ocorridas nas organizações em decorrência das transformações tecnológicas que mudaram muito a dinâmica do trabalho. Adoecer é uma agressão à saúde e se constitui mais pelos aspectos de ordem subjetiva, sem exteriorizações físicas importantes. Trata-se de um processo que evidencia que algo não vai bem, o que nem sempre é seguido de uma patologia propriamente dita.

A empresa deve estar atenta a seus empregados e às suas mudanças de comportamento. Se identificado no início, o estresse pode ser tratado mais facilmente, evitando maiores danos para a saúde do trabalhador e para a organização. É importante notar as mudanças de comportamento ocorridas a partir da admissão, perceber se o empregado passou a se irritar facilmente, se reclama de cansaço e fadiga ou se está com uma aparência mais desleixada. Quando ele faz a avaliação psicológica periódica, esses sintomas de estresse também podem ser identificados e trabalhados por meio de acompanhamento profissional.

Embora todo processo de trabalho envolva situações de risco, de acidentes e de adoecimento, esses podem ser evitados quando há a preocupação da organização em preservar a integridade do trabalhador e evitar um ambiente doente que produz sofrimento. Quando a empresa visa o bem-estar dos seus empregados, ela atua de forma estratégica e reduz gastos com absenteísmo e licenças médicas. “Além disso, profissionais felizes e satisfeitos produzem mais, geram mais lucro e ‘vestem a camisa’ da empresa”, afirma Fabiana. “Portanto, é de suma importância investir na qualidade de vida e no capital humano. Afinal, são as pessoas que fazem o negócio funcionar”, conclui.

Mais Notícias

 Medicina do Trabalho

26/08/2021
Vacina contra a Covid-19 é obrigatória nas empresas?
Entenda a importância da vacinação e conheça as decisões acerca da obrigatoriedade

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Entrada em vigor das novas normas regulamentadoras é adiada para 2022
Saiba quais foram incluídas no cronograma anunciado pelo governo federal

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
SST na mineração: obrigações das empresas
Como manter trabalhadores protegidos em um setor essencial para a economia brasileira

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Limites de tolerância a ruídos no trabalho
O que a legislação diz sobre o tema e como as empresas podem se adequar
Abrir o chat
Precisa de ajuda?