Notícias

 Medicina do Trabalho
25/05/2016

Hipertensão: causas e cuidados

Hereditariedade, idade e obesidade são fatores que propiciam o surgimento da doença


A hipertensão, também conhecida como pressão alta, é diagnosticada quando o indivíduo apresenta, sistematicamente, pressão arterial igual ou maior que 14 por 9. Sua elevação acontece porque os vasos pelos quais o sangue circula se contraem. Podemos comparar o coração e os vasos sanguíneos a uma torneira ligada a uma mangueira. Se a mangueira é fechada, a pressão dentro dela aumenta. O mesmo acontece em nosso corpo: se os vasos são estreitados, a pressão sobe.

A doença atinge coração, cérebro e rins, além dos vasos. Com a pressão elevada, os vasos endurecem e se estreitam, e podem entupir ou romper. O entupimento de um vaso no coração é o causador de um infarto. No cérebro, é a causa de um acidente vascular cerebral (AVC) ou “derrame”. Já no rins, a doença leva à insuficiência renal. “Hereditariedade, idade e obesidade são fatores que propiciam o surgimento da doença. O ideal é realizar um check-up anual, com cardiologista”, pontua Ana Carolina Dutra de Oliveira, enfermeira da Sercon.

Os sintomas da hipertensão costumam ser silenciosos e só ocorrem em fases avançadas da condição ou quando a pressão arterial aumenta abruptamente. Algumas pessoas apresentam dor de cabeça, no peito e tonturas, sinais de alerta. Para evitar a hipertensão, ou nos casos de hipertensão leve, recomenda-se a mudança do estilo de vida. “O paciente deve praticar exercício físico, controlar o consumo de sal e de álcool e controlar o estresse e o peso”, pontua a enfermeira. Caso a pressão não baixe, mesmo com essas medidas, é necessário, também, fazer o uso de remédios vasodilatadores, sempre prescritos pelo médico.

Hipertensão arterial no ambiente de trabalho

Atividades desgastantes, com alta demanda psicológica, baixo nível de controle sobre as próprias atividades e suporte social no trabalho podem levar ao aumento sistemático da pressão arterial. Além disso, fatores como aumento de carga de trabalho, insatisfação, desemprego ou insegurança no emprego, trabalho em turnos e exposição a ruídos também podem colaborar para o desenvolvimento da hipertensão.

Já a relação entre a doença e a exposição ocupacional a agentes químicos, como agrotóxicos, mercúrio e cádmio, tem sido investigada e documentada desde os anos 1970. Para manter a pressão sobre controle, é possível tomar alguns cuidados:

– Evitar o cigarro e o álcool;

– Praticar atividades físicas;

– Evitar o estresse (técnicas de relaxamento e psicoterapia podem ser úteis);

– Aferir a pressão arterial com regularidade e anotar os valores para referência;

– Mantenha o peso ideal;

– Adote uma alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes;

– Se já for hipertenso, jamais pare o tratamento por conta própria.

Mais Notícias

 Medicina do Trabalho

26/08/2021
Vacina contra a Covid-19 é obrigatória nas empresas?
Entenda a importância da vacinação e conheça as decisões acerca da obrigatoriedade

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Entrada em vigor das novas normas regulamentadoras é adiada para 2022
Saiba quais foram incluídas no cronograma anunciado pelo governo federal

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
SST na mineração: obrigações das empresas
Como manter trabalhadores protegidos em um setor essencial para a economia brasileira

 Eng. de Segurança do Trabalho

26/08/2021
Limites de tolerância a ruídos no trabalho
O que a legislação diz sobre o tema e como as empresas podem se adequar